Espiritualidade

Exú: símbolos, características e seus filhos

Os Orixás, no Brasil, nem sempre são devidamente compreendidos pela população – e isso é especialmente verdade quando trata-se de Exú. Exú é, sem dúvidas, a figura mais controversa entre essas entidades. Ligado à terra e ao fogo, é um mensageiro e comunicador, que trabalha sem considerar o valoração relacionada às suas atividades.

Em outras palavras, é necessário entender que Exú – ou Èsú – é uma entidade que foge d a compreensão maniqueísta, com características muito mais sutis que precisam ser observada. Saiba mais a respeito deste orixá, seu significado e suas características:

Associações principais de Exú

Exú é um orixá representado pelas cores preta e vermelha, no Candomblé. Seu dia é a segunda-feira, é associado aos elementos da terra e do fogo. Exú trabalha nos domínios da transformação, da comunicação, do sexo, da magia e do poder.

Muitas vezes, é simbolizado por formas fálicas eretas, que representam sua atuação sobre o mundo humano e sua proximidade com os habitantes dele.

História e características

As características de Exú, ao contrário do que muitos pensam, nada tem a ver com maldade ou com crueldade. Trata-se de um Orixá muito próximo à humanidade, responsável pela transformação, pela ordem e pelas comunicações que levam à mudança essencial na existência.

Dessa forma, Exú não rege ninguém, embora esteja presente na vida de todos. Mais do que isso, permeia toda a existência humana – dessa forma, contém contradições e conflitos da mesma forma que contém aspectos positivos. Não é bom, nem mal, e pode manifestar-se de diferentes maneiras, de acordo com a forma como for provocado na vida de alguém.

Isso surge do ideário tipicamente africano. Enquanto as tradições europeias que formam a moralidade geral da sociedade brasileira enxergam o bem e o mal como constantes da vida, havendo uma relação de oposição entre ambos, a cultura africana é mais semelhante à asiática, neste sentido: não há antagonismos predefinidos, apenas diferenças.

Por isso, a forma correta de interpretar este Orixá é entendê-lo como parte da expressão humana: fala todas as línguas, é apto a todas manifestações e sentimento e pode relacionar-se com qualquer um – seja de forma positiva, seja de forma negativa.

É necessário respeitar sua existência e, sobretudo, entender Exú como um ser superior e poderoso, que reflete seus atos sobre as pessoas, na medida em que elas o respeitam o agradam.

Quais características regem os filhos de Exu?

Aqueles que são filhos de Exú são carismáticos, extrovertidos e perspicazes. Sabem relacionar-se e comunicar-se, além de serem espertos e atenções em relação aos outros. Neste sentido, a comunicabilidade do Orixá pode ser percebida, sendo pessoas que tendem facilmente à popularidade e aos bons relacionamentos.

Outra característica destas pessoas é a impulsividade e o alto desejo sexual que costumam manter. São pessoas ativas e, não raras vezes, despudoradas, tanto em relação ao sexo, quanto a qualquer outra ação.

Por isso, é comum que entrem e saiam de bagunças com frequências, sem uma verdadeira preocupação com suas consequências. São pessoas que sabem se divertir, mesmo em situações incomuns. Sua impulsividade pode ser um problema, na medida em que seu carisma pode ser uma grande vantagem.