Espiritualidade

Oyá: características e simbologias de Iansã

Oyá é o nome em iorubá para a palavra “rasgar” ou “espalhar”, que ajuda a nomear o Rio Níger, o maior da Nigéria. Na língua, chama-se o rio de Odò Oyá, pois espalha-se pelo país em toda sua extensão. Por tomar toda a região, é exatamente neste rio que vive Oyá, ou Iansã, a mais poderosa mulher da África.

Iansã é mãe dos nove Orum, e seu poder vai muito além da questão da maternidade. Trata-se de um Orixá que representa a contradição e os conflitos e sabe regular estes como apenas essa divindade tão poderosa.

De certa forma, Oyá é a rainha daquilo que outras divindades masculinas buscam ser. É intensa e fervorosa em seus conflitos, ao mesmo tempo em que é provedora, fecunda e carinhosa.

Por isso, Oyá ou Iansã é uma orixá importantíssima, que merece todo  respeito e atenção de quem estuda o assunto. Saiba mais sobre ela, suas características, simbologias e representação através de seus filhos:

Elementos de associação

Iansã é associada à quarta-feira, e a cores como o rosa, o vermelho e o marrom. Algo curioso sobre sua simbologia é que, embora more em um gigantesco rio, seu elemento é o fogo – é exatamente por isso que vive o conflito e a contradição. É, também, partícipe da tempestade – que representa a água – mas geradora de raios, que representa o fogo.

Suas contradições também estão no comportamento: é a única entre as Orixás identificadas como mulheres que é associada ao conflito, e seus símbolos são a espada e o Eruexin, uma espécie de rabo de cavalo utilizado para controlar seus eguns.

História e características

Atualmente, associa-se o surgimento de Iansã em regiões agrárias, em que alguns cultos antigos eram diretamente ligados à fecundidade e a feminilidade, mas todos precisavam demonstrar capacidade de agir fisicamente para o sustento, o plantio e a caça.

Por isso, Oyá reúne vários dos elementos mais importantes para a sobrevivência, demonstrando que seus conflitos não mostram algo errado, mas uma reunião de características que a faz muito mais poderosa.

É, ao menos tempo, devota à batalha, mas sensual e apaixonada. Trata-se de um reflexo daquilo que se entendia da natureza associada à divindade: Iansã era a mesma que trazia a chuva, necessária para o desenvolvimento de comida, mas também aquele que enviava os raios que incendiavam, e a tempestade forte. Trata-se, portanto, da completude que envolve o conflito, e não de uma percepção plana da realidade.

É uma representação da força e da ferocidade que convivem com o sensual e o carinhoso. Trata-se de uma inspiração da convicção implacável, ao mesmo tempo em que permite a fertilidade, que precisa do esforço conjunto.

Quais são as características dos filhos de Oyá?

Os filhos de Iansã são os apaixonados, os convictos, os lutadores e os obtinados. Por vezes, agem de forma impulsiva, mas são capazes de chegar ao seu objetivo com muito foco. Mais do que isso, são pessoas que sabem mesclar suas necessidades, são obstinadas em alcançar o que desejam.

Em geral, são extrovertidas, mas não usam meias palavras. São apaixonadas e apaixonantes, e capazes de seguir em frente com facilidade. São mais autoritárias do que impulsivas, neste aspecto da vida, pois são confiáveis e capazes de estarem focadas, durante um relacionamento.

Se você convive com um filho ou filha de Oyá, no entanto, é necessário ter cuidado na hora da briga: são explosivas, assim como os trovões do Orixá!